Tempestade tropical Marco (2008)

Disambig grey.svg Nota: Se procura outros ciclones tropicais chamados "Marco", veja Furacão Marco.
Tempestade tropical Marco
Tempestade tropical (EFSS)
A tempestade tropical Marco perto de seu pico de intensidade em 6 de outubro de 2008
Formação 6 de outubro de 2008
Dissipação 8 de outubro de 2008
Vento mais forte (1 min) 55 nós (102 km/h, 63 mph)
Pressão mais baixa 998 hPa (mbar) ou 749 mmHg
Danos Mínimos
Fatalidades Nenhuma
Áreas afetadas México (estados de Campeche e Veracruz)
Parte da
Temporada de furacões no Atlântico de 2008

A tempestade tropical Marco foi o décimo terceiro ciclone tropical dotado de nome da temporada de furacões no Atlântico de 2008. Marco formou-se de uma perturbação tropical que persistia sobre a península de Iucatã por vários dias. Em 6 de outubro, uma pequena circulação ciclônica formou-se no interior do sistema e se tornou uma depressão tropical assim que deixava a costa do estado mexicano de Campeche para adentrar a baía de Campeche. Mais tarde naquele dia, o sistema se fortaleceu para a tempestade tropical Marco. O sistema continuou a se intensificar sobre a baía de Campeche, atingindo seu pico de intensidade durante o começo da madrugada de 7 de outubro, com ventos máximos sustentados de 100 km/h. Marco manteve esta intensidade até atingir a costa do estado mexicano de Veracruz mais tarde naquele dia. Após seguir sobre o México, Marco enfraqueceu-se rapidamente e se dissipou sobre as montanhas do México central ainda em 7 de outubro.

Devido ao seu tamanho extremamente pequeno, Marco causou apenas danos mínimos em Veracruz. Houve relatos de enchentes localizadas e de mar agitado. Nenhuma fatalidade foi relatada e nenhuma pessoa ficou ferida devido aos efeitos de Marco no México. Marco também foi o menor ciclone tropical atlântico em tamanho já registrado na história.[1]

História meteorológica

O caminho de Marco

Marco formou-se de uma grande área de baixa pressão que persistia sobre o noroeste do mar do caribe e sobre a península de Iucatã durante a última semana de setembro de 2008.[1] Durante este período, a área de baixa pressão não mostrou sinais de organização.[1] No entanto, em 4 de outubro, a chegada de uma onda tropical causou o aumento da organização do sistema.[1] Com isso, uma pequena circulação ciclônica formou-se ao largo da costa de Belize.[1] Sob a influência de uma alta subtropical ao seu norte, o sistema seguiu para oeste atingindo a península de Iucatã.[1] Sobre a península, o sistema parou de mostrar sinais de organização devido à interação com terra.[1] No entanto, áreas de convecção começaram a se formar assim que o sistema cruzava a península e se aproximava da baía de Campeche.[1] Por volta da meia-noite (UTC) de 6 de outubro, quando a perturbação tropical alcançou a laguna de Términos, no estado mexicano de Campeche, já estava bastante definida, com suficientes áreas de convecção, para ser declarada como uma depressão tropical pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.[2]

Marco pouco antes de atingir a costa mexicana em 7 de outubro

Continuando a seguir para oeste e para oeste-noroeste, o sistema alcançou as águas abertas da baía de Campeche horas depois de ter se tornado uma depressão tropical.[1] Uma vez sobre as águas quentes da baía de Campeche, a depressão, cuja cobertura das nuvens associadas media menos do que 140 km de diâmetro, começou a se intensificar rapidamente e começou a exibir bandas curvadas de tempestade.[1] Com isso, o sistema se intensificou para a tempestade tropical Marco por volta do meio-dia de 6 de outubro, estando naquele momento a cerca de 110 km a nordeste da cidade mexicana de Coatzacoalcos.[3] Com bons fluxos de saída de altos níveis proporcionado por um anticiclone próximo, Marco continuou a se intensificar gradualmente assim que seguia continuamente para oeste-noroeste, atingindo seu pico de intensidade por volta da meia-noite (UTC) de 7 de outubro, com ventos máximos sustentados de 100 km/h, estando naquele momento a cerca de 120 km a leste-nordeste da cidade de Veracruz.[1] Neste momento, o raio de ventos máximos media apenas 19 km,[4] diminuindo para 10 km horas depois.[1] Com isso, Marco foi o menor ciclone tropical atlântico em tamanho já registrado na história.[1]

A partir de então, Marco começou a seguir para oeste, mantendo a sua intensidade até fazer landfall na costa do estado mexicano de Veracruz por volta do meio-dia de 7 de outubro, logo a leste da pequena localidade de Misantla, localizada entre as cidades de Tuxpan e Veracruz.[5][6] A pequeníssima tempestade tropical começou a se enfraquecer rapidamente, se enfraquecendo para uma depressão tropical antes de se dissipar completamente apenas 6 horas após ter atingido a costa.[7]

Preparativos e impactos

Após a formação do fenômeno meteorológico, o governo mexicano emitiu um aviso de tempestade tropical para o Golfo do México desde Tuxpan até Punta El Lagarto.[8] Naquela mesma tarde de 6 de outubro de 2008, o governo emitiu um alerta de furacão entre Cabo Rojo e Veracruz, e estendeu o alerta de tempestade tropical para o norte de Cabo Rojo.[9] As autoridades fecharam as escolas antes da tempestade e disponibilizaram 200 abrigos.[10] Estima-se que 3.000 pessoas foram evacuadas de áreas baixas ao longo da costa.[11] Soldados utilizaram ônibus escolares para o transporte das pessoas evacuadas até os abrigos.[10] Marco se formou na área das principais instalações de petróleo do México,[12] provocando a evacuação de 33 trabalhadores de quatro plataformas. Seis poços de petróleo e uma usina de processamento de gás natural também foram fechadas em Veracruz.[10] A Secretaria de Comunicações e Transportes do México também fechou os portos de Nautla e Alvarado como medida de precaução.[13] Em Veracruz e Tampaulipas, os portos foram fechados para pequenas embarcações por 24 dias e o fluxo de navios de grande porte foi restrito por cerca de cinco horas.[14]

Após a aterragem, as fortes chuvas atingiram um nível máximo de 201 milímetros em El Pujal, San Luis Potosí e caíram a taxas de até 25,4 mm/h, causaram algumas inundações em cidades costeiras perto de Veracruz que na qual as pessoas foram evacuadas para locais mais altos.[15][1][16] As chuvas de Marco pioraram as áreas de inundação no México que já estavam sofrendo devido a graves enchentes.[10] Autoridades em Veracruz, no seu inquérito de danos pós-tempestade, informaram que dois rios, o Quilate e o Tenoch, transbordaram devido às chuvas produzidas por Marco.[17] Um desses rios deixaram as cidades de Minatitlan e Hidalgotitlan com um nível de 3m de água acima do normal.[10] Rodovias no litoral de Veracruz também foram inundadas.[18] Outras 250 casas foram inundadas quando um lago e um rio transbordaram.[19] Treze municípios em Veracruz foram afetados por Marco. Em Vega de Alatorre, 77 pessoas foram evacuadas para abrigos próximos depois que suas casas foram inundadas com as águas da chuva. Três deslizamentos de terra também foram registrados em Misantla Colipa, nenhum deles causou danos.[20] Em todos, o impacto do Marco foi pequeno; danos mínimos foram registrados, e nenhuma das cerca de 400.000 pessoas afetadas pela tempestade sofreram ferimentos.[1][21]

Ver também

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tempestade tropical Marco (2008)

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o Franklin, James L. (14 de novembro de 2008). «Tropical Cyclone Report Tropical Storm Marco» (PDF). Centro nacional de Furacões (em inglês). Consultado em 9 de janeiro de 2009 
  2. «Tropical Depression Thirteen Discussion number 1». National Hurricane Center (em inglês). 6 de outubro de 2008. Consultado em 8 de outubro de 2008  Parâmetro desconhecido |coautors= ignorado (ajuda)
  3. «Tropical Storm Marco Discussion number 2». National Hurricane Center (em inglês). 6 de outubro de 2008. Consultado em 8 de outubro de 2008  Parâmetro desconhecido |coautors= ignorado (ajuda)
  4. Stewart (7 de outubro de 2008). «Tropical Storm Marco Discussion number 3». National Hurricane Center (em inglês). Consultado em 8 de outubro de 2008 
  5. Franklin (7 de outubro de 2008). «Tropical Storm Marco discussion number 4». National Hurricane Center (em inglês). Consultado em 8 de outubro de 2008 
  6. «Tropical Storm Marco Discussion number 5». National Hurricane Center (em inglês). 7 de outubro de 2008. Consultado em 8 de outubro de 2008  Parâmetro desconhecido |coautors= ignorado (ajuda)
  7. Blake (8 de outubro de 2008). «Tropical Depression Marco discussion number 7». National Hurricane Center (em inglês). Consultado em 8 de outubro de 2008 
  8. Rhome and Pasch (October 6, 2008). «Tropical Depression Thirteen Public Advisory One». National Hurricane Center. Consultado em January 23, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  9. Rhome and Pasch (October 6, 2008). «Tropical Storm Marco Public Advisory Two». National Hurricane Center. Consultado em January 23, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  10. a b c d e Associated Press (October 7, 2008). «Tropical Storm Marco hits Mexico's Gulf coast». USA Today. Consultado em January 23, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  11. Associated Press (October 8, 2008). «Tropical Storm Marco hits Mexico's Gulf coast». MSNBC. Consultado em January 23, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  12. Robert Campbell (October 6, 2008). «Tropical storm Marco forms near Mexico oil fields». Reuters. Consultado em October 8, 2008  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  13. Hernandez, Miguel (October 7, 2008). «Tropical Storm Marco Closing in on Mexico's Coast». ABC News. Consultado em May 31, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda) [ligação inativa]
  14. (em castelhano) Staff Writer (2009). «Port Summary for 2008 Tropical Cyclones in Mexico» (PDF). General Coordination of Merchant Marine and Ports. Consultado em June 2, 2009  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  15. (em castelhano) «41st Session Country Report: Mexico». World Meteorological Organization. 2009. Consultado em March 9, 2009  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  16. Staff Writer (October 7, 2008). «Tropical Storm Marco lashes Mexico's Gulf coast». Reuters. Consultado em October 8, 2008  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  17. (em castelhano) Staff Writer (October 7, 2008). «Press Release». Government of Veracruz. Consultado em June 2, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  18. Adventist Development and Relief Agency International (October 10, 2008). «Mexico: Heavy rains flood Tabasco and Veracruz, ADRA responds». ReliefWeb. Consultado em January 23, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  19. (em castelhano) A. Timoteo, R. Villalba, R. López, S. Ocampo, M. Habana, S. Maldonado y E. Argüelles (October 9, 2008). «Veracruz: causa Marco inundaciones y crecidas de ríos en 14 municipios». La Jornada. Consultado em January 24, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  20. (em castelhano) Notimex (October 7, 2008). «Tormenta "Marcos" afecta 13 municipios de Veracruz». Millennium Publishing Group. Consultado em June 2, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda) [ligação inativa]
  21. Xinhua News Agency (October 7, 2008). «Tropical Storm Marco hits Mexican coast, 2,000 people evacuated». Highbeam Research. Consultado em May 17, 2009  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)

Predefinição:Bom interwiki Predefinição:Link FA Predefinição:Link FA